15/01/2023    19H00

O kota que me desculpe, mas não pode nos dar jajão assim. Ele deve ter 45 ou 50 anos de idade. Acompanho as actvidades dele desde que chegou cá em Malanje e não acredito que tem mais de 60 anos. Quem tem a idade dele, não seria um turbo como é, notei isso no dia que visitou o rio Malanje, sem receio foi até onde todo mundo pensava que era impossível descer. Até o vice Quissonde que tem 30 e tal anos, teve dificuldades de descer no rio e subir com a mesma velocidade do Governador.
Felizmente estou na caravana dele que está a visitar a região Songo, a fazer um trabalho que não preciso revelar aqui, mas estou tonto com a velocidade do kota. Percorre longas distâncias a pé, sem sinais de cansaço. Os jovens é que estão a murmurar, fazendo -me lembrar o tio Celito, o Presidente de Portugal, quando visitou o Lobito, onde eu trabalhava na altura. Durante as visitas às obras, vasculha tudo, sem pressa e avalia os trabalhos como se fosse um engenheiro de construção, mas é agrónomo. Tem uma visão muito adiantada das coisas, porque pensa dez ou vintes anos para frente. Não concorda que se coloque uma escola ou centro médico numa determinada localidade, sem a existência de residência para os profissionais. Várias vezes foi dizendo que não é possível prender um profissional numa localidade, sem criarmos as condições essenciais, principalmente uma habitação. Nunca pensei que o kota fosse tão visionário assim. Outro exemplo que me levou a tirar essa conclusão, é o facto de repetir várias vezes que na governação, é preciso definir prioridades. Para ele, o desenvolvimento de Malanje passa necessariamente pela melhoria das estradas, extensão de energia electria a todos os municípios, água potável, saneamento básico e acima de tudo isso, a agricultura. Se todos pensassem assim, este país estaria muito longe.
Hoje por exemplo no Luquembo, não aceitou ser driblado nas visitas de campo. Chegou até onde alguém tentou impedir, dizendo que não havia condições de acesso. Com aquele passo dele veloz, que fazia correr os mais novos, mesmo com muita lama e fezes em algumas zonas, andou pelos projectos dos 200 fogos habitacionais, do centro de formação profissional e outros, para ver a realidade das coisas.
Enfim, a partir de agora, sou ainda mais fã do kota Nhunga. Quase lhe disse isso hoje, mas não dá, por causa da natureza do meu trabalho e também podiam pensar que estou a bajular.
Kota, não diz mais que tem mais de 60 anos, porque não vou acreditar. O pessoal do governo de Malanje que comece a ir ao ginásio treinar, porque pelo que estou a ver, vão levar muito treino desse kota. Eu, Amadeu Zua, nas próximas visitas, não vou faltar, porque para além de trabalhar, estou a aprender bastante.

Por / Amadeu Zua

Revista Destemidos.