O ministro dos Transportes, Ricardo Viegas D’Abreu, deslocou-se ao Porto de Luanda, na quarta-feira, onde verificou obras de ampliação que incidem sobre dois terminais, um de Cabotagem e outro de Passageiros, bem como sobre o Centro de Operações do Circuito Fechado de Televisão (CCTV).

06/01/2023   05H10

Uma nota do serviço de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério dos Transportes (MINTRANS) enviada, ontem, à nossa Redacção, que o ministro esteve a constatar o grau de execução das obras do Terminal de Cabotagem Norte do Porto de Luanda, numa visita de trabalho em que se fez acompanhar do secretário de Estado para os Sectores da Aviação Civil, Marítimo e Portuário, Emílio Londa.

Na ocasião, segundo o nota, Ricardo D’Abreu recebeu da Administração do Porto de Luanda informações detalhadas sobre o Terminal de Cabotagem Norte, o que inclui a data prevista para a conclusão das obras, algo que o documento não refere.

A construção do cais de cabotagem e ponte cais vai servir as ligações entre as províncias de Luanda, Zaire e Cabinda por via marítima, permitindo o transporte de pessoas e bens entre estas regiões do país.

“A concepção global do projecto resulta de um trabalho multidisciplinar com soluções adequadas à eficácia exigida para cada situação, numa relação técnico-económica, obedecendo a rigorosos padrões de qualidade e exigência, recorrendo a meios tecnológicos que irão conferir ao terminal condições de funcionalidade, conforto, ambiental, operação e manutenção de equipamentos”, afirma o documento para definir a obra.

Ricardo D’Abreu esteve no Centro de Operações de CCTV do Porto de Luanda, recentemente, instalado para proporcionar maior controlo e segurança a toda a área de jurisdição portuária, para obter informações adicionais sobre a evolução do projecto.

No Terminal Marítimo de Passageiros (TMP) do Porto de Luanda, Ricardo D’Abreu inteirou-se sobre o funcionamento do equipamento de raios X, do projecto de exploração da parte do parque de estacionamento da Baía de Luanda, bem como do processo de partidas e chegadas de passageiros e mercadorias. Para além de uma sala de embarque, desembarque de passageiros e mercadorias, o TMP dispõe de restaurante, serviços de check-in, transportador horizontal para encaminhar bagagens para a zona de contentorização, transportador em fila para evitar o trânsito das bagagens e uma zona de recolha da bagagem.

REVISTA DESTEMIDOS.