Por ocasião dos protestos por melhores condições laborais, realizados pelos camponeses de algodão na região da Baixa de Cassange a 4 de Janeiro de 1961, data consagrada ao DIA DOS MÁRTIRES DA REPRESSÃO COLONIAL.

O Bureau Político do Comité Central do MPLA rende profunda e merecida homenagem aos protagonistas deste facto histórico, que não obstante ter tido como resposta das autoridades portuguesas e patronato, um covarde massacre da população , está convicto que a celebração da data , reforça a consagração do estatuto de Heróis Nacionias aos seus artífices e marcou mais um factor de determinação do Povo Angolano pela defesa dos seus justos interesses e direitos.

O MPLA considera o 4 de Janeiro de 1961 como um acto de efectiva revolta do Povo Angolano contra o regime colonial português, representando um dos marcos mais importantes do processo de Luta Armada de Libertação Nacional, iniciada no dia 4 de Fevereiro de 1961, que culminou com a proclamação da Independência Nacional, aos 11 de Novembro de 1975.

Neste sentido, o Bureau Político do MPLA exorta a sociedade angolana em geral a manter viva a chama da Independência Nacional e as demais conquistas colectivas, com realce para a Paz e as tarefas do processo de Reconciliação Nacional, como pilares fundamentais de uma sociedade democrática, em que a sua força reside no povo.

O Bureau Político do MPLA reitera o reconhecimento do valor dos protestos e das sublevações das comunidades camponesas ligadas ao cultivo de algodão na Baixa de Cassanje, naquela data, reafirmando que, na memória colectiva dos angolanos, uma das mais sublimes formas de tributar os obreiros da histórica acção é, dentre outras, advogar junto do Executivo, no sentido de promover medidas de políticas visando o sustentável relançamento da produção do algodão, no âmbito da revitalização da agricultura como a base para o desenvolvimento de Angola.

O Bureau Político do MPLA apela a todos os angolanos, de Cabinda ao Cunene, no sentido de transformarem essa data de inquestionável importância histórica em mais um acto patriótico de reflexão, catalisador do aumento da consciência de cidadania e participação da classe camponesa em particular, nas tarefas que visam o reforço da construção de uma sociedade assente em elevadas expressões de justiça, solidariedade, paz, igualdade e progresso social.

O 62º aniversário da repressão colonial contra os camponeses da Baixa de Cassanje é celebrado sob signo da nova visão do MPLA em relação a protecção social, que possa abranger os mais vulneráveis, quebrar os ciclos de pobreza e contrbuir para a realização do potencial humano de todos os cidadãos, tendo como corolário a melhoria das condições de vida das populações.

MPLA – A FORÇA DO POVO

A LUTA CONTINUA!

A VITÓRIA É CERTA!

LUANDA, 3 DE JANEIRO 2023.

O BUREAU POLÍTICO

Revista Destemidos.