Os produtores de palmar e técnicos órgãos ligados ao Ministério da agricultura e florestas das províncias do Cuanza-Sul e Uíge, estão a ser formados, desde terça-feira até ao próximo sábado, sobre novas técnicas de cultivo e pós-colheita.

01/12/2022   07H25

Produtores de palmar e café arábica em formação sobre técnicas de cultivo

O objectivo é revitalizar a produção do palmar e outras espécies que se desenvolvem nas florestas, como o café, cacau e outras.

A acção formativa é promovida pela Acção Angolana para o Desenvolvimento (AAD), em parceria com Oikos Alemã. A mesma decorre na estação regional do Instituto Nacional do Café (INCA), arredores da cidade da Gabela, município do Amboim, na província do Cuanza-Sul.

Com a duração de  cinco dias, os produtores vão ser capacitados por um consultor internacional alemão, Jurgen Pohlan, sobre matérias ligadas às normas de boas práticas de cultivo e pós-colheita, sistemas de plantação de palmar, preparação, organização e manuseio do viveiro do palmar, avaliação do sistema de cultivo em plantação, manuseio e ciclos de vida em povoamentos naturais do palmar.

Os produtores e técnicos do Instituto de desenvolvimento agrário, do café e florestas vão também aprender matérias sobre determinação dos parâmetros de rendimentos do palmar e revisão da metodologia das colheitas e processamento do óleo de palma, quer seja para as componentes práticas quer teóricas.

Regiões tradicionais

O director da Acção Angolana para o Desenvolvimento (AAD), Albino Chicale, disse, durante a apresentação sumária do projecto, que o projecto de revitalização da cultura do palmar e outras espécies, foi iniciado em 2021 e termina em 2023.

A sua implementação está orçada em 500 mil euros, doados pelo Ministério de cooperação internacional do Governo Alemão (BMZ), e os resultados obtidos permitem dar continuidade. “Temos motivos de prosseguirmos com projecto, a julgar pelos resultados que temos obtido nas localidades de implementação, faltando-nos reforços financeiros para a consolidação dos mesmos”, disse.

Quanto à realidade dos projectos em curso, Albino Chicale, revelou que o projecto de revitalização do palmar envolve um total de 350 famílias, distribuídas nas localidades de vale do rio Cambongo, no Sumbe, localidades de Cawembe e Jombe, no município da Conda, Cawá, município do Amboim, e Chol-Chol, em Porto-Amboim.

Sobre a multiplicação de mudas, o director da AAD fez saber que o processo de multiplicação de mudas e palmar tem sido feito, na base de espécies locais, com parceria da Estação Experimental do INCA, no Amboim e do Quilombo, na província do Cuanza-Norte, além de outras espécies importadas pelo INCA, a partir da Malásia.

Necessidade de apoio aos projectos

O Director Albino Chicale defendeu a necessidade de o Executivo, através de vários projectos em curso, como os de desenvolvimento local e combate à pobreza, apoiar projectos das organizações não-governamentais.

“Quando implementamos projectos nas comunidades,  temos o foco virado para a realização das comunidades, do ponto de vista económico e social, por isso, seria ideal o Executivo reforçar as organizações não-governamentais, e não se limitar aos financiamentos resultantes de doações”, frisou.

Para o Chefe de departamento provincial  do Cuanza-Sul do Instituto Nacional do Café (INCA), Nascimento Caponte, a formação dos produtores de palmar afigura-se como um passo para a retoma da produção do óleo de palma e outros derivados do dendém.

“Estamos perante uma acção formativa, que vai trazer muitos benefícios para a economia local, e nacional no geral, tendo em conta a cadeia de valor que resulta da cultura do palmar”, disse.

A  administradora municipal adjunta para o sector político, social e das comunidades, Teresa Bravo de Matos, que presidiu a abertura da acção formativa, reafirmou o compromisso do Executivo, ao resgate das culturas tradicionais, como o palmar, café, cacau e outros de alto rendimento, como a aposta virada para a diversificação da economia.

“Temos de encorajar acções do género, que se enquadram na melhoria de técnicas de cultivo do palmar, sendo um produto de alto rendimento, na senda do desenvolvimento.

REVISTA DESTEMIDOS