A terceira edição da Feira de Mobiliário, que vai decorrer sob o lema “Tornar a vida melhor”, abre, hoje as portas, no centro comercial “Cidade da China”, em Viana, província de Luanda, com os braços abertos à participação de pequenos empreendedores.

17/11/2022 ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 08H25

O evento que acontece em Luanda está aberta participação de empresas nacionais e estrangeiras do ramo de mobiliário.

Até quarta-feira(16), estava confirmada a participação de 30 expositores, entre os quais duas instituições bancárias, podendo o espaço, onde vai decorrer, durante um mês, a feira, receber mais expositores, por terem sido montadas 50 stands.

A feira está aberta à participação de empresas nacionais e estrangeiras do ramo do mobiliário, mas, desde à primeira edição, apenas estrangeiras, sobretudo chinesas, marcam presença no evento.

A feira foi criada pela African Sunrise Investiment Group, empresa proprietária do centro comercial “Cidade da China”, para ser “a montra real” do que é feito em Angola, em matéria de mobiliário, por empresas de grande e pequeno portes.

Ontem, a porta-voz da Feira de Mobiliário e secretária de direcção do centro comercial “Cidade da China”, Xiang Haiying, manifestou, em declarações ao Jornal de Angola, o desejo de que, a partir da próxima edição, participem, também, empresas nacionais, incluindo pequenos empreendedores, de todas as províncias do país.

Xiang Haiying lembrou que a Feira de Mobiliário foi criada para, entre outros objectivos, contribuir para um maior intercâmbio entre os produtores angolanos e estrangeiros.

Os artigos produzidos pelas fábricas que participam na Feira de Mobiliário estão à venda em lojas instaladas no centro comercial “Cidade da China”.

Confiança no Sucesso

O Jornal de Angola contactou dois dos 30 expositores, os quais manifestaram confiança no sucesso da terceira edição da Feira de Mobiliário.

A gerente da loja da empresa “Sonho da Casa”, Peng Sha, disse estar optimista, por estarem expostos mobiliários produzidos à base de designers inovadores, arrojados e contemporâneos.

“A nossa especialidade é estar sempre a inovar”, declarou Peng Sha, que, por outro lado, anunciou, como nova aposta da empresa, a produção de mobiliário de escritório.

Na feira, a empresa “Sonho da Casa” colocou amostras de artigos de mobiliário de escritório, como forma de anunciar a sua pretensão de consolidação nesse segmento do negócio mobiliário.

A “Sonho da Casa” está com um volume de produção elevado, estando na origem da redução dos preços, garantiu Peng Sha, acentuando que, por exemplo, o preço de alguns dos sofás foi reduzido em quarenta por cento.

Criada há mais de quatro anos, a “Sonho da Casa” tem, por exemplo, uma produção diária de 1.200 sofás e emprega mais de 500 trabalhadores.

Por sua vez, a gerente Filomena Pereira, da loja da empresa “Super Mobília”, garantiu que a “Feira de Mobiliário veio dar nova dinâmica à actividade dos lojistas”.

Filomena Pereira disse esperar que a terceira edição da Feira de Mobiliário supere as expectativas criadas à volta do evento, que, no seu entender, tem sido uma “escola de aprendizado”, no campo do negócio e do marketing comercial.

A empresa “Super Mobília” produz mobiliário, de todo o tipo e feitio, e, também, casas de madeira.

“A qualidade dos produtos da Super Mobília vai atrair o interesse dos visitantes, devendo um número expressivo comprar alguns artigos à venda pela Super Mobília”, afirmou Filomena Pereira.

Dando ênfase ao marketing, a gerente da loja da “Super Mobília” disse esperar por uma afluência de visitantes, um desejo que resulta da necessidade de haver uma maior valorização da produção nacional.

Revista Destemidos