12/11/2022 13H36

O secretário de Estado para a Economia, Ivan Marques dos Santos (centro), apresentou o evento que vai reunir várias firmas

O Ministério da Economia e Planeamento promove, entre 7 e 11 de Dezembro, deste ano, a 1ª edição da Exposição de Produtos e Serviços “Feitos em Angola”, com o objectivo de fomentar, promover e incentivar a produção nacional, inserido no Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituições de Importações (PRODESI).

A 1ª edição da Expo feita em Angola 2022, que vai decorrer no parque de feiras da Zona Económica Especial Luanda/Bengo (ZEE), irá contar com a participação das empresas produtoras nacionais de todas as províncias do país, registadas no Instituto Nacional de Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), como principal entidade pública dinamizador da produção feito no país.

O Grupo Evento Arenas, como principal organizador da actividade, dispõe de 70 milhões de kwanzas, para a realização da exitosa feira. Em contrapartida, o Evento Arenas vai comercializar 24 mil kwanzas, por metro quadrado de espaço, para as empresas que operam fora de Luanda, com um desconto de 20 por cento. As que produzem na capital do país, vão desembolsar 30.200 kwanzas, para garantir o retorno do investimento a ser aplicado.

Produção nacional

O secretário de Estado para a Economia, Ivan Marques dos Santos, que anunciou ontem a data da realização da 1ª edição da Expo Feito em Angola, em conferência de imprensa, indicou que o Executivo vai continuar a apostar no fomento e promoção da produção, com o objectivo de dinamizar a economia real.

De acordo com Ivan dos Santos, a realização da Expo feito em Angola 2022 vai permitir a promoção de produtos nacionais em quantidade e qualidade, no quadro da política da diversificação económica, por ser o maior desafio do Executivo para o desenvolvimento do bem-estar social da população.

“O Governo central pretende com a realização deste evento aumentar a consciência da população do impacto económico, ambiental e comunitário dos bens e serviços feitos em Angola. Por isso, convidamos todos os empresários nacionais que têm produtos e serviços feitos no país a participarem desta exposição”, disse, destacando que é através da produção nacional que o Executivo vai conseguir atender a demanda de produtos no seio dos consumidores finais.

Por: Joaquim Suami

Revista Destemidos.