10/11/2022 14H01

Presidente russo, Vladimir Putin

Vladimir Putin vai decidir, até ao fim desta semana, se vai marcar presença na Cimeira do G20, em Bali, que arranca no próximo dia 15 de Novembro.

“O Presidente russo, Vladimir Putin, tomará uma decisão sobre a participação na Cimeira do G20 até o final de semana”, disse o secretário de imprensa do Chefe de Estado, Dmitry Peskov, citado pela agência russa RIA Novosti.

“Informaremos, a todos quando a decisão for tomada”, disse o porta-voz do Kremlin.

Putin disse no final de Outubro que não descartaria a participação no evento,  ao mesmo tempo, enfatizou que a Rússia estará “definitivamente” representada ao mais alto nível.

A RIA Novosti revela ainda que, apesar de Joe Biden, Presidente dos EUA, ser também um dos membros que deverá marcar presença nesta reunião do G20, não está previsto nenhum contacto oficial entre os Chefes de Estado russo e norte-americano.

GUERRA NA UCRÂNIA
EUA e Rússia tentam evitar escalada do conflito

O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, tem conversado com altos representantes russos por forma a reduzir o risco de uma escalada de tensão,  e de um desastre nuclear , avançou o Wall Street Journal (WSJ).

De acordo com as fontes oficiais ouvidas pela publicação, as conversações têm ocorrido nos últimos meses não só com o seu homólogo russo, Nikolai Patrushev, como também com o assessor do Kremlin para os Assuntos Internacionais, Yuri Ushakov.

Questionada sobre estas conversações, a Casa Branca terá respondido à publicação com um comunicado. “As pessoas alegam muitas coisas”, afirmou porta-voz do Conselho Nacional de Segurança, Adrienne Watson.

As alegadas conversações ocorrem numa altura em que o Ocidente e a Rússia começam a colocar em cima da mesa a possibilidade de um desastre nuclear, com Moscovo a não rejeitar a ideia, e Washington e a União Europeia, entre outros, a advertir para o perigo desta escalada de tensão.

Recentemente, Moscovo acusou a Ucrânia de planear usar uma ‘bomba suja’, que é um dispositivo explosivo convencional que tem a si associado, também, material radioativo – esta teoria já foi rejeitada pela Agência Internacional de Energia Atómica.

De acordo com a Reuters, o Ocidente tem suspeitas de que a Rússia possa estar a preparar um ataque com uma “bomba suja” como um pretexto para escalar o conflito, acusações a que Moscovo respondeu dizendo que os países ocidentais estavam a “encorajar provocações”.

Jake Sullivan viajou, na sexta-feira, para a Ucrânia, e sublinhou o apoio “incondicional e inabalável” que os Estados Unidos darão ao país.

Revista Destemidos.