09/11/2022 10H44

Carolina Cerqueira trocou impressões sobre as metas da agenda 2030 com Zahira Virani

As Nações Unidas prometem, de forma incansável, continuar a trabalhar com o Executivo e a Assembleia Nacional de Angola, para garantir o cumprimento da Agenda 2030, cujo plano de acção global inscreve 17 Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e 169 metas, criados para erradicar a pobreza e promover a vida condigna aos cidadãos.

A promessa foi feita ontem, em Luanda, à imprensa, pela representante do Sistema das Nações Unidas em Angola, Zahira Virani, no final da audiência que lhe foi concedida pela presidente da Assembleia Nacional, Carolina Cerqueira, na sede do Parlamento.

“A Assembleia Nacional pode contar cem por cento com o apoio do Sistema das Nações Unidas e de todas as agências que trabalham em Angola, para a melhoria das condições sociais e económicas dos angolanos, no quadro do cumprimento da Agenda 2030”, declarou a representante da ONU em Angola, que valorizou o papel da Assembleia Nacional neste processo.

A diplomata da ONU disse que o encontro serviu, também, para felicitar a primeira mulher a exercer o cargo de líder do Parlamento: “Angola é um dos poucos países do mundo, sobretudo em África, que tem líder feminina no Parlamento”.

Trocas comerciais rondam 3 mil milhões de dólares

Numa outra audiência, Carolina Cerqueira recebeu a embaixadora da Índia em Angola, Pratibha Parkar, com quem abordou a cooperação bilateral aos níveis governamental e parlamentar.

Em declarações à imprensa, no final do encontro, que durou pouco mais de 20 minutos, a diplomata indiana informou que as trocas comerciais bilaterais abrangem vários sectores económicos e rondam os 3 mil milhões de dólares anuais, com a Índia a comprar 10 por cento do petróleo bruto angolano, diamantes, e outros minérios, enquanto Angola importa do país asiático medicamentos e vários utensílios manufacturados.

“As relações entre os nossos dois países são antigas e decorrem a bom ritmo. Os dois Estados trabalham para que as mesmas se estendam a vários sectores”, indicou Pratibha Parkar, salientando que as relações parlamentares bilaterais poderão surtir efeitos a partir do início do próximo ano.

Segundo a diplomata, isso deve-se pelo facto de o Parlamento angolano ter arrancado com a nova legislatura há apenas algumas semanas, depois das Eleições Gerais de Agosto último, que reconduziram o MPLA e o Presidente João Lourenço para mais um mandato de cinco anos.

Adesão à Aliança Solar Internacional

Pratibha Parkar disse, também, ter abordado com Carolina Cerqueira a necessidade de o Parlamento angolano aprovar a adesão de Angola como membro efectivo da Aliança Solar Internacional, organismo internacional que auxilia os países a enfrentar de forma colectiva desafios comuns para a difusão da energia solar em linha com as suas necessidades.

O acordo inclui a possibilidade de os países desenvolverem acções coordenadas por meio de programas e actividades voluntárias de base. Entre os mecanismos estão o acesso a financiamento, tecnologias, inovação, pesquisa e desenvolvimento, bem como capacitação.

A diplomata da Índia revelou que o órgão, com sede no seu país, já possui mais de 90 membros. “Aguardo que as autoridades angolanas optem pela adesão de Angola ao órgão”, referiu a embaixadora, que também felicitou Carolina Cerqueira, pela eleição ao cargo de líder do Parlamento angolano.

Por: Garrido Fragoso

Revista Destemidos.