06/11/2022 18H20

Produtos “Feitos em Angola” são certificados

O Instituto Nacional de Apoio às Micros, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM) apresentou aos operadores económicos dos diferentes sectores da província do Uíge, o Serviço Feito em Angola (SFA), que visa fomentar o aumento da produção nacional.

O chefe de departamento do Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM) no Uíge, Alfredo Sassa, apelou aos empresários da região a aderirem ao Serviço Feito em Angola (SFA)”, para maior divulgação dos seus produtos no mercado nacional e internacional.

O apelo foi feito no acto de entrega do primeiro certificado de adesão e da licença do Serviço Feito em Angola à empresa PAFIFE, dedicada ao fabrico de mobiliário, no âmbito da campanha de expansão e sensibilização das empresas locais.

A iniciativa, promovida pelo INAPEM, visa fomentar a produção nacional, potenciar exportações dos produtos nacionais, assim como fomentar o consumo de produtos nacionais.

O responsável informou que foram identificadas algumas empresas locais que vão servir de exemplo para que as demais possam aderir ao SFA.

Explicou que a divulgação do SFA tem permitido a expansão das empresas e a  adopção desse serviço.

O responsável lembrou que o Serviço Feito em Angola dispõe de informações sobre quem fabricou o produto, localização da empresa e o período de validade.

O Serviço Feito em Angola (SFA) é um instrumento do Executivo, coordenado pelo Ministério da Economia e Planeamento e operacionalizado pelo INAPEM, com vista a complementar os programas de apoio à produção nacional.

Malanje

Os operadores económicos da província de Malanje, tomaram igualmente conhecimento do  Serviço Feito em Angola (SFA), que visa fomentar o aumento da produção nacional.

A iniciativa enquadra-se no âmbito da campanha de expansão do referido Serviço, que vem sendo dinamizado no país, pelo INAPEM e vai culminar como visitas de campo para a constatação das potenciais empresas aderentes ao SFA.

No acto de apresentação do projecto, o chefe de Departamento para Programa de Facilitação e Financiamento do INAPEM, Nédio dos Santos, referiu que o Serviço já tinha sido implementado em 2012, no âmbito do programa Angola Investe, com a missão de dinamizar o processo de diversificação da economia e fomentar o aumento da produção nacional.

Precisou que passados dez anos, o Ministério da Economia e Planeamento, decidiu proceder a reestruturação do mesmo, dando um carácter de complementaridade ao programa de apoio à produção nacional para ganhar um papel mais relevante no crescimento económico.

Nédio dos Santos, disse que com a reestruturação, o Serviço passa a ser regulamentado pelo Decreto Presidencial nº160/22 de 17 de Junho, revestido de uma personalidade jurídica própria, ajustada aos desígnios do Programa de Apoio à Produção.

Revista Destemidos.