29/10/2022 05H38

As remessas e outras transferências pessoais recebidas de emigrantes angolanos do resto do mundo cifram-se em 3,5 milhões de dólares, no segundo trimestre do ano em curso, contra 3 milhões de dólares registados no trimestre anterior e 3,3 milhões do período homólogo.

Segundo dados do Banco Nacional de Angola (BNA), os Estados Unidos de América (EUA) lideram a lista dos fluxos das remessas e outras transferências pessoais recebidas, com 17,6 por cento, por Portugal e França, com um peso de 17,4 e 12,4 por cento, respectivamente.

Os dados sustentam que o saldo das remessas e outras transferências pessoais registou outra vez um défice, à semelhança dos períodos anteriores, quase na mesma proporção das remessas e outras transferências pessoais enviadas, tendo em vista às remessas e outras transferências pessoais recebidas do exterior.

Comparativamente ao período anterior, no segundo trimestre, as remessas e outras transferências pessoais registaram um crescimento de 14 por cento, ao passo que o crescimento das enviadas foi de 42,2 por cento, contribuindo assim no agravamento do défice das remessas e outras transferências pessoais.

O fluxo de remessas e outras transferências pessoais enviadas ao exterior foi de 307,3 milhões de dólares, contra 216,2 milhões do trimestre anterior e 141,9 milhões do período homólogo, representando uma tendência de aumento.

Portugal mantém-se como principal país de destino das remessas e outras transferências pessoais saídas de Angola, representando 48,8 por cento do valor total do segundo trimestre, seguido da China e do Vietname com 19,9 e 18,5 por cento, respectivamente.

Por: Pedro Peterson

Revista Destemidos.