28/10/2022 06H46 ⚫❤️⭐OMA❤️⭐⚫

Camarada Pedro Neto, Secretario Geral em exercício do MPLA;
Camarada Joana Tomás Martins, Membro do Bureau Político do Comité Central d MPLA Secretária Geral da OMA;
Camarada Crispiniano Vivaldino dos Santos, Membro do Bureau Político do Comité Central do MPLA, Primeiro Secretário Nacional da JMPLA;

Camaradas Membros do Grupo de Acompanhamento do Secretariado do Bureau Político do Comité Central do MPLA;

Camaradas Membros do Secretariado Executivo Nacional da OMA;

Camaradas Membros do Comité Nacional da OMA;

  1. É com imensa satisfação e alegria, que começo por endereçar uma calorosa saudação à cada uma das participantes desta III Reunião Ordinária do Comité Nacional da OMA.
  2. Uma distinta saudação às mulheres angolanas, de Cabinda ao Cunene, dignamente representadas pelas Camaradas Membros do Comité Nacional da OMA.
  3. Estimadas Camaradas,
  4. A vitória do MPLA e do Camarada Presidente João Lourenço, nas eleições de 24 de Agosto, contou igualmente, com o trabalho abnegado desenvolvido pelas estruturas da OMA a vários níveis em toda extensão do território nacional.
  5. Por isso, em nome do MPLA e do Camarada Presidente, reiteramos os nossos profundos agradecimentos pelo empenho e dedicação que ficou evidente durante o processo eleitoral.
  6. Estimadas camaradas;
  7. O Secretariado Executivo Nacional da OMA traz nesta III Reunião Ordinária do Comité Nacional da OMA, uma amálgama de assuntos ligados ao balanço que se impõe à vida interna da organização, legítimas ao normal funcionamento da mesma;
  8. Entretanto, devo conferir algum destaque à reflexão que se propõe fazer no ponto quarto da Agenda desta reunião, tendo em conta que se fechou um ciclo e se abre um novo, com grande representação das mulheres no Executivo e na Assembleia Nacional, fruto de uma maior inserção da mulher nos órgãos de tomada de decisão.
  9. Vale assinalar que, a aposta na paridade do género nos órgãos e organismos nacionais do Partido, representa uma soberana oportunidade para a mulher angolana, mas imputa igualmente responsabilidades acrescidas para a organização, que se deve traduzir num trabalho de mobilização política rigoroso e exemplar.
  10. Como podem perceber queridas camaradas, a aposta do Camarada Presidente João Lourenço, na Mulher, não ficou apenas circunscrito ao Partido. Temos uma mulher, Sua Excelência Dra. Esperança da Costa como Vice-Presidente da República; na Assembleia Nacional temos como Presidente deste órgão de soberania, Sua Excelência Dra. Carolina Cerqueira.
  11. Somos um Partido avançado em detrimento de outros, nós o MPLA, para a composição da lista de Deputados à Assembleia Nacional, observou-se igualmente o princípio da paridade. Nesta legislatura contamos com 83 Deputadas o que representa 37,7% no total de 220 Deputados.
  12. Só um Partido que tem um líder visionário e determinado é capaz de compreender que a mulher pode e deve ter as mesmas oportunidades em relação aos homens.
  13. Queridas camaradas, as mulheres no MPLA têm voz e espaço, factores que nos colocam numa posição que se compagina com os desafios do século XXI e com a visão de um mundo pós-moderno, onde a mulher deve ter as mesmas oportunidades que os homens.
  14. Saudamos o Camarada Presidente João Lourenço e a sociedade Angolana por prestarem uma atenção especial à mulher.
  15. As nossas adolescentes e jovens podem sonhar com uma Angola onde a mulher, desde que tenha competências técnicas e comportamentais possa ocupar lugar de destaques sobretudo nas instituições do Estado.
  16. Está aberta a janela de oportunidades para que o país possa ter uma lei de paridade e que estimule também as instituições privadas a continuarem a apostar na mulher angolana.
  17. Estimadas camaradas,
  18. Terminado o desafio das eleições gerais é fundamental fazer-se uma rápida reflexão e introspecção sobre a qualidade e intensidade da participação da OMA na vitória do MPLA, identificarem com realismo os pontos fortes e fracos.
  19. Importa realçar que a avaliação, assim como ontem, hoje se impõe para a eficácia dos processos, gestão eficiente dos recursos, qualidade dos resultados e sobretudo aprender com as lições do passado para projectar as vitórias.
  20. Hoje, é preciso também mais organização e mobilização permanente, com criatividade e inovação, termos que não devem ser apenas chavões, mas premissas indispensáveis para continuarmos a nos manter competitivos e imbatíveis.
  21. Temos desafios políticos que requerem uma elevada e inteligente participação da OMA, no quadro do Programa do Governo 2022-2027 e no diálogo construtivo sobre a implementação do poder autárquico, onde a mulher deve participar activamente e não prescindir da sua pertinente contribuição.
  22. Estimadas camaradas,
  23. É preciso que as dirigentes da OMA continuem a descer às bases e torná-las cada vez mais fortes, bem como aumentar a base de militantes, amigos e simpatizantes da organização. Dito de outro modo, a OMA deve ser mais atractiva, mais solidária e mais envolvida no apoio da mulher angolana em qualquer canto do nosso território nacional e na diáspora.
  24. É preciso também, que as mulheres se automobilizem a favor da implementação do Programa do MPLA sufragado nas urnas e no apoio a liderança do Camarada Presidente João Lourenço, na condução dos destinos deste grande e rico país, que se chama Angola.
  25. A OMA deve continuar a assumir-se como porta-voz das causas da mulher, advogando pela defesa da família junto das instituições do Estado; pois apenas com famílias sãs, o Estado angolano conseguirá alcançar os propósitos do desenvolvimento sustentado.
  26. O êxito dos próximos desafios dependerá do trabalho que deve ser feito no seio da mulher angolana a par do vosso empenho para contribuir na busca de soluções para as preocupações que ainda afligem as famílias angolanas em particular à mulher.
  27. Por isso, a OMA tem esta ingente responsabilidade de continuar a interpretar os anseios e aspirações das mulheres e oportunamente estabelecer as parcerias que se impuserem.
  28. Auguro que a III Reunião Ordinária do Comité Nacional produza bons frutos que concorram para o fortalecimento da Organização da Mulher Angolana.
  29. Um abraço forte e um beijo de coração para coração. Estamos juntas.
  30. Com estas palavras, declaro aberta a III Reunião Ordinária do Comité Nacional da OMA.
  31. Muito obrigada pela vossa especial atenção.

A LUTA CONTINUA,
A VITÓRIA É CERTA.
MPLA, PAZ E DESENVOLVIMENTO

Revista Destemidos.