20/10/2022   07H29

A Energy Capital & Power considerou, esta quarta-feira, que o gás natural será fundamental para Angola conseguir diversificar a economia para além do petróleo e também implementar indústrias que não estão dependentes de matérias-primas.

“O gás natural tem o potencial de garantir a transição de Angola para lá da sua dependência do crude, rumo ao estabelecimento de indústrias diversificadas e não baseadas em matérias primas”, escreveu a analista da consultora Energy Capital & Power, Grace Goodrich, sobre Angola.

Na análise ao potencial do gás natural em Angola, Grace Goodrich escreve que o país lusófono africano tem reservas de cerca de 27 biliões de pés cúbicos, mas aponta que tem sido “lento” a transformar as reservas em receitas, focando-se quase exclusivamente na produção de petróleo, a maior parte da qual para exportação.

“Apesar de o país exportar actualmente 95% da sua produção de gás natural em forma de Gás Natural Liquefeito, pretende que o país fique com 25% da produção, através da associação a indústrias de valor acrescentado, até 2030”, acrescenta a analista citada pela Lusa, defendendo a aposta na Agricultura como a mais vantajosa para Angola.

De acordo com Grace Goodrich, o Executivo angolano já percebeu o potencial do gás e está a apostar num conjunto de iniciativas que podem melhorar a economia do país.

 “O país está a dar prioridade do desenvolvimento de projectos de gás natural, iniciando o lançamento de investimentos em infra-estruturas com o objectivo de utilizar este recurso como uma solução para a geração de energia”, concluiu.

Revista Destemidos.