14/10/2022 21H03

O capitão Ibrahim Traoré, que fez um golpe de Estado no Burkina Faso há 15 dias, o segundo em oito meses, foi hoje nomeado “por unanimidade” Presidente do conselho de transição até às eleições de Julho de 2024.

“O capitão Traoré acaba de ser unanimemente nomeado Presidente da transição”, disse um membro da junta militar no poder, de acordo com a agência France-Presse, que confirmou a declaração com outro líder militar no país.

A reunião nacional, com cerca de 300 pessoas, adoptou o artigo 5 de uma “carta de transição” que estipula que “o presidente do Movimento Patriótico de Salvaguarda e Restauração [MPSR, a junta militar no poder] assume as funções de Presidente da transição, chefe de Estado e chefe supremo das Forças Armadas Nacionais”.

Traoré tem sido o chefe do MPSR desde o golpe de 30 de Setembro.

Na reunião, foi também adoptado o artigo 4 da carta, que estipula que “o mandato do Presidente da transição termina com a investidura do Presidente resultante das eleições presidenciais” previstas para Julho de 2024, e acrescenta que “o Presidente de transição não é elegível para as eleições presidenciais, legislativas e municipais que serão organizadas para pôr fim à transição”.

Em 24 de Janeiro, soldados liderados pelo tenente-coronel Paul Henri Sandaogo Damiba e afiliados no MPSR derrubaram o Presidente Roch Marc Christian Kaboré, acusado de não conseguir fazer frente aos ataque terroristas que se multiplicaram no Burkina Faso.

Os ataques não pararam em oito meses e, perante a constante deterioração da situação, um novo golpe teve lugar em 30 de Setembro, levando o capitão Ibrahim Traoré, de 34 anos, ao poder.

Revista Destemidos.