08/10/2022 07H21

O embaixador norte coreano em Angola, Jo Pyong Chol, disse (06), em Luanda, que as relações de amizade e de cooperação entre os dois países são estáveis.

O diplomata que falava em alusão ao 77.º aniversário da fundação do Partido do Trabalho da Coreia, referiu-se à cooperação entre a República Popular Democrática da Coreia e a República de Angola, afirmando serem excelentes e mantêm a bom ritmo o nível de amizade entre os dois povos.

Jo Pyong Chol salientou que “as relações com Angola tiveram uma baixa em 2019, por ocasião da pandemia da Covid-19, em que muitos dos cooperantes coreanos, sobretudo os médicos que trabalhavam nos hospitais públicos das 18 províncias tiveram que deixar o país. Fora deste período, tudo anda na normalidade”.

Relativamente à cooperação em outros sectores, particularmente o empresarial, Jo Pyong Chol adiantou que algumas empresas coreanas operam em Angola e “o seu governo continua de mãos abertas para que tudo se estabeleça na normalidade”.

Pyong Chol apontou, por outro lado, o domínio da tecnologia, com destaque a construção de um centro de tecnologia industrial na Zona Económica Especial de Luanda que, quando concluído, vai favorecer empregos para jovens angolanos.

Questionado sobre a tensão registada nos últimos dias entre a Coreia do Norte e o Japão, relativamente ao lançamento do míssil, o diplomada caraterizou o acto como sendo de sua autodefesa. “Nós assistimos os Estados Unidos a fazerem manobras bem perto de nós, isso não é ameaçador. A ameaça só há quando a Coreia faz o seu ensaio nuclear?”, questionou.

Para o diplomata, “tudo isso é instigação dos Estados Unidos que pretende a todo o custo atingir a Coreia”, disse.

A cooperação entre Angola e a Coreia do Norte começou nos primórdios da luta pela Independência nacional com a visita do Presidente António Agostinho Neto àquele País asiático em 1971 e assenta sobretudo nos domínios da tecnologia, indústria, saúde e agricultura.

Texto: JV/EMS

Jornal ÉME – Luanda – 06.10.22

Revista Destemidos.