01/09/2022 13H40

O Banco Nacional de Angola (BNA) deu um prazo de 30 dias aos acionistas do Banco de Comércio e Indústria (BCI) para a apresentação de um Plano de Recapitalização e Reestruturação.

Conforme anúncio feito em conferência de imprensa, esta sexta-feira, 30, em Luanda, a aplicação de medidas de intervenção correcctiva ao Banco de Comércio e Indústria, deve-se a insuficiência de fundos próprios regulamentares e rácio de fundos próprios abaixo do mínimo regulamentar que apresenta.

Em Dezembro de 2021, o BCI passou da titularidade do Estado para o Grupo Carrinho, numa operação de venda em bolsa fixada em 16,5 mil milhões de kwanzas, equivalentes a pouco mais de 29 milhões de dólares.

Naquela que foi a primeira venda no país de um activo por via de um leilão em bolsa, as 100 mil acções do BCI acabaram vendidas ao contravalor de 165 mil kwanzas cada.

Deste modo, ao Grupo Carrinho ficou a tarefa de reestruturar o BCI e torná-lo num banco viável, capaz de atrair clientes com novos e melhores produtos e serviços.

De acordo com dados da administração do banco são necessários para as operações agora demandadas pelo regulador um valor de 27 mil milhões de kwanzas, que corresponde a segunda parcela do aumento do capital social.

Por: Isaque Lourenço

Revista Destemidos.