01/09/2022 13H47

Acções representativas de 25 por cento do capital do Banco Caixa Geral Angola (BCGA) foram admitidas, ontem, à negociação na Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA), a um preço mínimo unitário de cinco mil kwanzas.

Acções representativas de 25 por cento do capital do Banco Caixa Geral Angola (BCGA) foram admitidas, ontem, à negociação na Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA), a um preço mínimo unitário de cinco mil kwanzas.

O toque de sino, um acto simbólico que marca o arranque da negociação e que, na bolsa, refere a abertura do mercado, foi realizado na Marina Yatch Club, em Luanda, num acto em que participaram os ministros de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, e das Finanças, Vera Daves de Sousa, os quais, nas suas intervenções, reafirmaram a confiança do Governo no mercado de valores mobiliário nacional para a dinamização e financiamento da economia.

A admissão das acções do BCGA na Bolsa é a segunda de uma unidade corporativa do mercado nacional, depois do Banco Angolano de Investimentos (BAI), em Junho.

Ocorre após a liquidação física e financeira, há uma semana, das acções alienadas no âmbito da Oferta Pública Inicial de 25 por cento das acções de forma indirecta detidas pelo Estado no BCGA, por intermédio da Sonangol, numa operação que ficou avaliada num valor total de 20.197 milhões de kwanzas.

Os títulos vendidos na semana passada a 693 investidores, entre os quais trabalhadores do banco, estão disponíveis em livre transacção no mercado  regulamentado, desde as 14h32 de ontem.

O presidente do Conselho de Administração da BODIVA, Valter Pacheco, apresentou a admissão à negociação de acções do BCGA como um acto que “demarca a continuidade ao surgimento de uma nova era” do mercado financeiro angolano, que contribuirá para a dinamização da economia angolana.

Por: Vânia Inácio

Revista Destemidos.