17/06/2022 10H10

Ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves

Um total de 2 mil e 933 ex-militares, residentes na província do Bié, cadastrados na base de dados do Instituto de Reintegração Sócio-Profissional (IRSEM), passa a beneficiar, doravante, dos apoios atribuídos pelo Executivo angolano, no quadro do programa integrado de desenvolvimento local e combate à pobreza.

A ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves, que esteve de visita ao Bié, assegurou que a província é a primeira a concluir o processo de cadastramento a nível nacional, apontando que com tal procedimento, os ex-militares inscritos passam a beneficiar do apoio que o Governo presta, integralmente, a esta franja da sociedade.

Faustina Alves realçou que, com os frutos produzidos pelo processo promovido pelo IRSEM no Bié, 63 cooperativas espalhadas, pelos onze municípios que compõem a província, receberam um total de 83 tractores no último quinquénio, números que, apesar de estarem ainda longe do perspectivado, são apontados como satisfatórios e contribuem, significativamente, no processo de produção.

Durante os dois dias que esteve na província do Bié, a ministra Faustina Alves entregou diversos imputes agrícolas a camponeses filiados em cooperativas, nos municípios do Andulo, Chitembo, Kunhinga e Chinguar.

“O Governo sente-se honrado por transformar a vida de antigos militares, através da prática agrícola”, frisou a ministra, para quem é evidente o empenho das autoridades nesse processo. A ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves, referiu que o cadastramento de ex-militares junto do Instituto de Reintegração Sócio-Profissional (IRSEM) prossegue o seu curso normal, e, desde 2017, já ingressaram na  instituição mais de 160 mil antigos militares, em todo o país.

Por: Delfina Victorino / Cuito.

Revista Destemidos.