16.06.2022 23H05

O presidente dos EUA, Joe Biden, fala na 29ª Convenção Constitucional Quadrienal da Federação Americana do Trabalho e Congresso de Organizações Industriais (AFL-CIO) no Centro de Convenções da Pensilvânia, Filadélfia,14 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 16.06.2022

Além disso, o presidente norte-americano culpou indiretamente seu antecessor, o presidente Donald Trump, pelo aumento dos preços da gasolina.

Na última terça-feira (14), o presidente dos EUA, Joe Biden, acusou as companhias de petróleo de não fazerem o suficiente para compensar o aumento dos preços da gasolina enquanto suas margens de lucro são historicamente altas.

“Em tempos de guerra, as margens de lucro bem acima do normal das refinarias, que são repassadas diretamente às famílias americanas, não são aceitáveis”, escreveu Biden em carta ao CEO da Exxon Mobil, Darren Woods. “Suas empresas devem trabalhar com minha administração para encontrar soluções concretas de curto prazo que abordem a crise e respeitem as ações críticas dos trabalhadores da energia e das comunidades próximas”, disse ele. “As empresas devem tomar medidas imediatas para aumentar a oferta de gasolina, diesel e outros produtos refinados”, acrescentou.

Por outro lado, a carta apresenta várias referências ao presidente da Rússia, Vladimir Putin. Em um dos pontos, o presidente acusou “a guerra de agressão de Vladimir Putin” e o “esforço global para combatê-la” de ter “interrompido o fornecimento mundial de petróleo” e aumentado seu preço.

“Não há dúvida de que Vladimir Putin é o principal responsável pela intensa dor financeira que o povo americano e suas famílias estão enfrentando”, disse ele. “O aumento de preços de Vladimir Putin está elevando os custos para os consumidores”, afirmou.

Revista Destemidos.