15/06/2022 12H07

O papel preponderante que Angola tem desempenhado para a resolução de conflitos e pacificação do continente africano, sobretudo, nas regiões dos Grandes Lagos, Centro-Africana e Golfo da Guiné, foi destacado, nesta terça-feira, em Helsínquia (Finlândia), pela secretária de Estado para as Relações Exteriores, Esmeralda Mendonça.

A diplomata angolana falava na cerimónia de abertura  da XIX Reunião dos Ministros dos Negócios Estrangeiros e das Relações Exteriores dos países Nórdicos e Africanos, que está a analisar questões de Paz e Segurança, Sociedades Sustentáveis e Cooperação nos Fora Multilaterais.

Para a secretária de Estado para as Relações Exteriores, Angola, por força da política externa de cariz pacifista, solidária e dos compromissos assumidos internacionalmente, viu a Assembleia Nacional aprovar a Lei nº 15/21, de 10 Junho, sobre o envio de contingentes militares e forças militarizadas angolanas ao exterior do país para participar em operações de ajuda humanitária, manutenção de paz e reforçar o contributo na defesa e segurança internacionais.

A título de exemplo, no quadro da Presidência na Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL) e visando o alcance da paz e estabilidade na República Centro Africana, foram realizadas, em Luanda, três Mini-Cimeiras de Chefes de Estado e de Governo, sendo que em consequência destas foi aprovado um Roteiro Conjunto para a paz na RCA, que define seis eixos principais, dentre os quais uma Declaração de Cessar-fogo, disse.

Esmeralda Mendonça destacou, igualmente, os esforços de Angola no âmbito da SADC, focados, de igual modo, na manutenção da paz e estabilidade nos Estados membros da sub-região do continente africano, com particular destaque para a República de Moçambique, que enfrenta um conflito interno na província de Cabo Delgado.

Revista Destemidos.