13/06/2022 22H57

Redimensionamento da TAAG carece de participações

A privatização da companhia aérea angolana – TAAG deve ocorrer antes de 2025, segundo indicações do presidente executivo da empresa, Eduardo Fairen Soria, ressalvando que, no momento, apenas existem manifestações de interesse.

Citado pela agência EFE, Eduardo Fairen Soria disse que a ideia do Governo angolano é privatizar o sector da aviação, uma vez que, em Janeiro de 2025, o país será abrangido pelo “acordo de céu aberto”, o Mercado Único Africano de Transporte Aéreo (SAATM).

Apesar de indicar que a privatização da companhia pode acontecer antes dessa data, do presidente executivo da TAAG ressalvou que, até ao momento, não existe um processo formal, prazo ou conversações, mas apenas manifestações de interesse por parte de grandes empresas.

A TAAG, que “tem que se actualizar e competir como qualquer outra empresa”, está imersa num processo de mudanças estratégicas, focadas na expansão da rede de destinos e na maior presença internacional, acrescentou.

Neste sentido, a companhia encomendou à Boeing 14 aviões, para renovar a rota. Em Fevereiro, Eduardo Fairen Soria tinha admitido que a privatização da companhia aérea de bandeira angolana não deveria acontecer antes de 2023 ou 2024, face ao impacto da pandemia da Covid-19.

Revista Destemidos.