14/06/2022 11H07

O trabalho de aperfeiçoamento dos mecanismos de actuação da Polícia Fiscal Aduaneira no Zaire impediu, de Junho de 2021 à data, 158 infracções diversas, com destaque para as relacionadas com o contrabando de 320.623 litros de combustível e de 796 toneladas de produtos farmacêuticos.

De acordo com o comandante da Polícia Fiscal Aduaneira do Zaire, superintendente chefe Manuel Marcelino Calhão, que falou, domingo, em Mbanza Kongo, por ocasião da celebração do 26º aniversário desse ramo da Polícia Nacional, a apreensão de 16.073 volumes de mercadorias diversas e de 283 telemóveis, quinze embarcações, uma quantia monetária avaliada em mais de 1.500.000 kwanzas, são destacáveis infracções registadas no período em referência.

“Registámos 158 infracções de natureza diversa, das quais 80 por cento foram transgressões tributárias. Por isso, a Polícia Fiscal Aduaneira continua a aperfeiçoar os mecanismos da sua actuação, definindo acções operativas que permitam um combate firme à evasão e fraude fiscal ao longo da linha de fronteira”, disse.

Para o êxito das suas acções, Manuel Marcelino Calhão exortou ao seu efectivo a reforçar a actuação, para o combate firme de todos os actos lesivos à economia nacional, mas agindo sempre nos termos da Lei e do profissionalismo.

“O caminho a trilhar é longo e difícil, mas necessário, para a salvaguarda do bem estar da população, pelo que, devemos seguir o lema: ‘Com o reforço da capacidade técnico-profissional policial no domínio fiscal e aduaneiro, comemoremos o 26º aniversário’”, frisou.

O comandante provincial da Polícia Fiscal Aduaneira realçou ainda a formação de doze efectivos em diversas matérias, além de outros oito especializados em navegação, para operarem nos municípios do Soyo e Nzeto. “Há quatro anos que o comandante-geral da Polícia Fiscal Aduaneira tem destacado o homem como o centro de todas as atenções, ao qual deve ser dotado de conhecimentos e ferramentas à altura, com vista a elevar o seu nível técnico-profissional durante o exercício da sua actividade”, lembrou.

Por seu turno, o director provincial do Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), comissário de emigração Francisco António Paulo, em representação do delegado do Ministério do Interior no Zaire e comandante provincial, comissário Manuel Gonçalves, enalteceu  o trabalho desempenhado pela Polícia Fiscal Aduaneira na defesa dos interesses do património nacional, consubstanciado no combate ao comércio ilícito, prestando o auxílio necessário à boa execução das leis, regulamentos e disposições relativas à sua administração.

A chefe da Delegação Aduaneira do Soyo, Suzana Rufino, destacou que a articulação entre a AGT (Administração Geral Tributária), Polícia Fiscal e outros órgãos de Defesa e Segurança, que tem possibilitado a identificação de factos que indiciam a práticas criminais de índole aduaneiro, ao longo das fronteiras do país.

Por: Fernando Neto | Mbanza Kongo.

Revista Destemidos.