14/06/2022 01H41

PRS de Benedito Daniel com fraca actividade em Benguela

As forças políticas intensificaram, na província de Benguela, as acções de sensibilização, designadas “caça voto”, procurando envolver o maior número de populares, através do contacto directo. O MPLA regista, nesse particular, o maior número de acções, fazendo perceber que está melhor preparado, a julgar pela moldura humana presente nas suas acções.

A zona alta da cidade do Lobito, alvo de várias acções de melhoria de vida, mostra-se mais receptível aos contactos com os militantes do MPLA. Nos últimos meses, a recuperação do abastecimento de água nas habitações, é apontada como sendo um motivo plausível. As obras implementadas no âmbito do PIIM prosseguem a bom ritmo e, segundo os cálculos dos técnicos envolvidos no processo de reabilitação de infra-estruturas, a electrificação de casas e espaços públicos pode estar estabilizada nos próximos dias.

Já a UNITA, a segunda maior força política na região, tem se desdobrado nas zonas periféricas, comunas e aldeias, justamente ali onde acredita existir maior grau de aceitação. “No capítulo da mobilização, o quadro aparenta estar desfavorável ao Galo Negro, uma vez que faltou alguma perspicácia da parte dos seus cabos eleitorais, centrado na figura do secretário municipal, Juca Manjenje, que não tem sabido passar a mensagem do seu partido à população lobitanga, estima o professor de História Malaquias Duval.

No entanto, o interlocutor prevê dificuldades acrescidas para os “maninhos”, na medida em que vão se aproximar da data da realização das eleições, caso os partidos liderados por Eduardo Jonatão Chingunji (P-NJANGO) e Bela Malaquias (PHA) “se intrometerem em território lobitanga.

“É uma perspectiva que, na verdade, assusta os militantes da UNITA. São duas peças que conhecem perfeitamente a UNITA por dentro e por fora, facto que pode facilitar a tarefa do seu oponente directo (MPLA) na corrida ao voto de 24 de Agosto próximo”, argumenta . O ambiente político-partidário, salientou, está concentrado no município do Lobito, e é dominado pelo MPLA e, a seguir, pela UNITA. Nas principais vias da cidade, bem como nas comunas e aldeias estão preenchidas  com bandeiras e cartazes dos líderes dos referidos partidos.

O mesmo já não se pode dizer de partidos como a  CASA-CE, PRS e FNLA, que limitam as actividades à base de comunicados de imprensa. As demais forças, como a  APN, P-NJANGO e Partido Humanista, praticamente não iniciaram as acções de sensibilização. Ou seja, estão longe dos seus eventuais apoiantes. A ronda do Jornal de Angola teve em atenção as acções das últimas semanas.  

Por: Júlio Gaiano/Lobito

Revista Destemidos.