11.06.2022 05H42

Presidente da Argentina, Alberto Fernández, ao pedir aos argentinos que redobrassem os cuidados no combate à COVID-19 - Sputnik Brasil, 1920, 07.06.2022

O governo argentino enviou ao Congresso um projeto que cria o chamado “imposto sobre a renda inesperada”, que incidirá sobre empresários beneficiados pelo aumento dos preços internacionais devido ao conflito na Ucrânia.

Ao apresentar o projeto, o presidente Alberto Fernández enfatizou que “o lucro extraordinário deve ser usado para gerar igualdade e justiça social“.

“Estamos aqui para equilibrar aquilo que foi desequilibrado”, disse ele na noite de ontem (6), acompanhado pelo ministro da Economia, Martín Guzmán, em pronunciamento na Casa Rosada.

O projeto visa implementar uma alíquota de 15% sobre o lucro extraordinário das companhias — vale lembrar que o governo argentino já taxa as grandes fortunas.

“Uma sociedade é onde todos ganham. Quando alguns ganham muito e milhões ficam empobrecidos, é uma farsa. Viemos aqui para validar igualdades e equilibrar o que foi desequilibrado”. O presidente Alberto Fernández na apresentação do Projeto de Renda Inesperada.

Os empresários, por outro lado, advertiram das consequências sobre os investimentos no país. Eles também sustentam que a iniciativa é uma forma de o governo cumprir suas metas no Fundo Monetário Internacional sem ter que fazer um ajuste fiscal.

Revista Destemidos.