A província do Moxico vai beneficiar, nos próximos dois anos, de um projecto de exploração de energia solar que terá uma capacidade de mais de 25 megawats.

Projecto de exploração de energia solar vai ser uma realidade na província nos próximos tempos.

O acto de consignação da empreitada aconteceu ontem e foi testemunhado pelo ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, e do governador Gonçalves Muandumba.

O projecto, que vai ser desenvolvido em 24 meses, está avaliado em mais de 36 milhões de euros e vai empregar 200 pessoas locais e terá uma potência  de mais de 25 megawatts de energia eléctrica. Serão mais de 42 mil painéis instalados, o que vai  facilitar a poupança de 19 mil litros de combustíveis por ano, correspondentes a mais de dois mil milhões de kwanzas.

A obra estará a cargo do consórcio Sun Africa LLC,M.C.A-Vias SA e M.C.A.SA e esta vai beneficiar, até 2025, mais de  285 mil habitantes, perfazendo um total de 56 748 ligações domiciliárias em 11 sedes municipais e comunais da província. Na sua intervenção, o ministro da Energia e Águas disse que o projecto atende uma estratégia de promoção do acesso à electricidade, definida no programa do Governo, visando aumentar o número de beneficiários.

Segundo o governante, o país tem uma taxa actual  de 42,8 por cento de acesso e o grande desafio é de, nos próximos cinco anos, esta taxa atingir os 50 por cento. Assegurou ainda que as províncias do Leste e do Sul de Angola são as que apresentam as taxas mais baixas de electrificação, originadas pela dispersão da sua população e da dimensão das próprias províncias.

A estratégia do projecto, disse, “atende também outro grande objectivo que é a descarbonização da indústria”. O ministro lembrou que o Presidente da República esteve, recentemente, na Cimeira sobre o clima e assumiu o compromisso de que, até 2025, Angola tem de introduzir, na matriz energética, a energia limpa, “o que significa que 72 por cento da energia que o país vai produzir virá da energia limpa”.

Revista Destemidos