08/06/2022 17H01

presidente do Partido Nacionalista para a Justiça em Angola (P-JANGO), Eduardo Jonatão “Dinho” Chingunji.

O presidente do Partido Nacionalista para a Justiça em Angola (P-JANGO), Eduardo Jonatão “Dinho” Chingunji, revelou, terça-feira , em Luanda, que a sua formação política pretende obter, nas próximas eleições, 30 deputados à Assembleia Nacional.

Dinho Chingunji, que reagia à legalização recente pelo Tribunal Constitucional do Partido Nacionalista para a Justiça em Angola (P-NJANGO), acrescentou que o mínimo pretendido pela sua formação política, no próximo pleito eleitoral, é de oito (8) deputados.

“Nessa altura, o mínimo é termos oito deputados. Mas a nossa ambição, fruto do trabalho que está a ser feito, é de termos 30 deputados. Porque os tempos são outros. A geração  que está a ouvir a nossa mensagem é outra”, enfatizou o antigo ministro da Hotelaria e Turismo no Governo de Unidade e Reconciliação Nacional, que vigorou na década de 1990.

De acordo com o dissidente da UNITA, 90% dos cidadãos que estão a ouvir a mensagem do seu partido são jovens, razão pela qual estão focalizados nessa franja da sociedade.

O filho de Kafundanga Chingunji, co-fundador da UNITA e primeiro chefe do Estado-Maior das FALA, antigo exército da UNITA, esclareceu, igualmente, que irá contar, nas eleições de 24 de Agosto, com o voto dos cidadãos que nos pleitos eleitorais se abstiveram. 

Segundo o interlocutor, os dados provenientes do Ministério da Administração do Território (MAT) dizem que, até 2017, são cerca de dois milhões de eleitores, que no dia de votação não participaram dos pleitos anteriores.

Dinho Chingunji, referiu, para o alcance dos 30 deputados no futuro Parlamento, o seu foco será o de convencer estes eleitores que a força para satisfazer os seus interesses é o Partido NJANGO.

Por: Joaquim Cabanje.

Revista Destemidos.