07.06.2022 11H46

Obuseiro ucraniano abandonado em Berdyansk - Sputnik Brasil, 1920, 07.06.2022

A Defesa russa informou nesta terça-feira (7) que a artilharia destruiu na Ucrânia um obuseiro autropropulsado M109 de 155 mm, enviado a Kiev pela Noruega, dois obuseiros norte-americanos M777 e sete outras armas pesadas, inclusive um 2S7 Pion.

Os ataques da aviação do país resultaram na eliminação de mais de 170 nacionalistas ucranianos, na destruição de nove blindados e dois lançadores múltiplos de foguetes grad, relatou o representante oficial da pasta, o major-general Igor Konashenkov.

Além disso, nas últimas 24 horas, as tropas de mísseis e a artilharia russas aniquilaram na Ucrânia mais de 400 nacionalistas, três sistemas S-300 e três sistemas Grad.

Mísseis de alta precisão atingiram também dois centros de comando e três posições de baterias de artilharia, bem como dois depósitos de munição em Vrubovka (Lugansk) e Yakovlevka (Carcóvia), segundo o ministério.

No total, já mais de 1,8 mil armas de artilharia de campo e morteiros ucranianos foram destruídos durante a operação militar especial russa, resumiu Igor Konashenkov.

Além do mais, o MD russo informou que testemunhos de residentes locais e de monges confirmam que o incêndio de uma igrja de madeira emSvyatogorsk em 5 de junho foi um ato deliberado dos nacionalistas ucranianos.

Segundo eles, citados pela entidade russa, a construção foi incendiada pelos soldados ucranianos por meio de uma metralhadora pesada. De acordo com a Defesa russa, sabendo que as Forças Armadas da Rússia não alvejam igrejas, os nacionalistas esperavam usar os santuários ortodoxos como escudo.

Pelos dados da pasta, os militares ucranianos planejavam manter a linha de defesa, na área arquitectónica protegida de Svyatogorsk, após terem explodido a ponte atráavés do rio Donets na segunda-feira (6).

Segundo as palavras de testemunhas, em 2 de junho, os militares ucranianos visitaram o complexo a fim de “observar o local para implantar na costa alta, onde estão localizados monumentos históricos, posições de artilharia do Exército ucraniano” e atacar as tropas russas com fogo direto através do rio, disse Konashenkov.

Ele também ressaltou que as acusações do presidente Vladimir Zelensky de que o Exército russo alegadamente destrói o patrimônio cultural da Ucrânia “são mentiras”. As Forças Armadas da Rússia não permitem bombardeios de monumentos.

Revista Destemidos.