07/06/2022 12H00

Primeiro Posto do PREI no Cuanza-Sul suportado por 15 técnicos

O Programa de Reconversão da Economia Informal (PREI) permitiu, desde o seu lançamento, a 27 de Maio último, a formalização de dois mil processos remetidos pelos requerentes, entre vendedores e prestadores de serviços no mercado do Mata-bicho, na cidade do Sumbe, província do Cuanza-Sul.

Os dados foram avançados ontem, na sede provincial, pelo responsável adjunto do Posto de Atendimento do PREI no Sumbe, Herculano Muginga, acrescentando que a ideia do programa é procurar formalizar o maior número de empreendedores possíveis que exercem actividades comerciais na informalidade.

Herculano Muginga adiantou que, do número de processos formalizados até agora, um total de mil incidiram em pedidos de créditos para o aumento do volume de negócios, enquanto outros mil processos são solicitações para formação em empreendedorismo, através do Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM). Os demais processos consistiram na obtenção do cartão de Segurança Social.

O responsável fez saber que, entre os meses de Junho e Julho, o PREI no Sumbe prevê, nesta primeira fase, formalizar entre dez a doze mil vendedores. “Estamos a trabalhar a todo o vapor, para que, até Julho, se atenda uma cifra estimada entre dez e doze mil processos formalizados”, disse, argumentando que “a dificuldade maior tem sido a fraca capacidade instalada de Internet”.

Explicou que as principais preocupações apresentadas pelos requerentes prendem-se com questões ligadas aos procedimentos de constituição de uma empresa, pagamento de Segurança Social, para assegurar a reforma, assim como sobre os requisitos necessários para aderir a um crédito e modo de pagamento, entre outras.

Quanto à rotina do funcionamento do Posto, Herculano Muginga fez saber que o atendimento diário ronda entre 400 a 500 pedidos, com uma grande parte a seguirem para a Repartição Fiscal e outra a ser tratada no Posto do PREI, modalidade que acelera a entrega de cartões aos beneficiários.

O primeiro Posto do PREI no Cuanza-Sul é composto por 15 técnicos, distribuídos nas áreas de Administração do Portal, Administração Geral Tributaria (AGT), Guiché Único de Empresas, Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP) e Fundo de Capital de Risco Angolano (FACRA).

Por: Víctor Pedro/ Sumbe.

Revista Destemidos.