05/06/2022 21H28

Sodiam revela acentuado crescimento dos lucros e do capital próprio durante o ano passado

Relatório e contas da companhia estatal relativos ao ano passado também revelam um crescimento do capital próprio, com a auditor a emitir um parecer com reservas

Os lucros da Sodiam  ascenderam a 18 604 milhões de kwanzas, em 2021, mais 30 por cento que os 13 169 milhões  do ano anterior, de acordo com o relatório e contas publicado sexta-feira, um documento sobre o qual o auditor externo, a Deloitte, emite reservas relacionadas com a extinta ligação à Victoria Holding (de Isabel dos Santos) e a  disponibilidades de 23 270 milhões de dólares da companhia numa instituição financeira sujeita a sanções internacionais.

De acordo com o documento, o total do activo desceu, no ano passado, para 223 359 milhões de kwanzas, menos que os 245 927 milhões de kwanzas de 2020, enquanto o capital próprio cresceu para 97 084 milhões de kwanzas, face aos 94 259 milhões do ano anterior.

Embora o parecer da Deloitte não aponte a instituição financeira sancionada, o banco de capital misto russo e angolano VTB Angola aloja significativos depósitos dos operadores do sector diamantífero nacional.

Ao emitir reservas, o auditor afirma não ter recebido informações suficientes que permitam concluir quanto à evolução futura  do negócio em Dezembro de 2021 reflectido nas rubricas “Investimentos em subsidiárias e associadas” e “Contas a receber”.

Isso diz respeito ao montante de 79,49 milhões de dólares correspondente ao investimento financeiro e suprimentos concedidos à Victoria Holding Limited, onde a companhia estatal angolana detém uma participação de 50 por cento, bem como a contas a receber dessa entidade de cerca de 92,51 milhões de dólares, acima dos 84,51 milhões em Dezembro de 2020.

De acordo com o documento, 68,75 milhões de dólares representam os juros suportados de um financiamento contraído junto do Banco Internacional de Crédito (BIC), um valor que, em Dezembro de 2020 era de 60,35 milhões de dólares.

O auditor externo afirma também não ter obtido respostas a pedidos de confirmação de saldos e outras informações relativas a “Contas a receber” de 70,03 milhões de dólares junto da Endiama e de 8,62 milhões de dólares de outras entidades relacionadas.

Como também não obteve confirmação de “Contas a pagar” à Endiama, no valor de 2,45 milhões de dólares, de 4,29 milhões a outras entidades relacionadas, bem como de 2,05 em “Outros passivos correntes” ligados ao Grupo Endiama.

O auditor disse, ainda, não ter pedido uma reconciliação entre os saldos expressos nos registos contabilísticos da Sodiam de 12,67 milhões de dólares e os das respostas obtidas 13,98 milhões, de onde emerge uma diferença de cerca de 1,31 milhão de dólares.

O Conselho Fiscal emitiu um parecer em que diz subscrever os aspectos das bases a opinião com reservas, considerando que as questões relativas à discrepância entre os registos e as respostas nas “Contas a receber” se referem à circularização de saldos em que as respostas apresentaram uma diferença de 10 por cento.   

Revista Destemidos.