03/06/2022 14H24

O secretário-geral adjunto da ONU e coordenador de crises para a Ucrânia, Amin Awad, afirmou, esta sexta-feira, dia em que se assinalam 100 dias desde a invasão russa, que esta guerra “não terá vencedor”.

Em comunicado, Awad continua referindo que é preciso “paz” e que “a guerra deve cessar”. “Esta guerra não tem e não terá vencedor”, atirou.

“Temos testemunhado durante 100 dias o que foi perdido: vidas, casas, empregos e perspectivas. Temos testemunhado destruição e devastação ao longo de cidades, aldeias e vilas. Escolas e hospitais não têm sido poupados”, alertou, recordando que, em pouco menos de três meses, “quase 14 milhões de ucranianos foram obrigados a fugir de suas casas, a maioria mulheres e crianças”, um fenómeno que classificou como sendo “sem precedentes na história”. 

A invasão iniciada a 24 de Fevereiro “teve um preço elevado para os civis”, destacou o responsável da ONU, que anteviu que “com a chegada do inverno, milhões de vidas civis podem estar em perigo”.

“Os nossos esforços sem descanso para responder ao impacto devastador da guerra vão continuar, de forma robusta e rápida”, prometeu, rematando que a “guerra tem de terminar agora”.

Revista Destemidos.