A investigadora diz ter ficado “desorientada” com a experiência, que tinha como objetivo estudar o comportamento dos utilizadores no espaço digital.

Um relatório partilhado pela organização sem fins lucrativos SumOfUs – de nome ‘Metaverse: another cesspool of toxic content’ – indica que uma investigadora terá sido violada (através do seu avatar) enquanto estava na plataforma Horizon World, o metaverso da dona do Facebook – a Meta.

A investigadora, que tinha como objetivo estudar o comportamento dos utilizadores no metaverso, diz que foi convidada para uma festa privada na Horizon World e que lhe foi pedido para desativar uma opção que impede que os outros utilizadores se aproximem a uma distância de cerca de um metro.

Foi quando desativou esta funcionalidade que a investigadora viu um avatar masculino a aproximar-se, com outro avatar masculino a segurar uma garrafa de vidro. No vídeo (partilhado no relatório) é possível ouvir os dois homens a fazerem comentários.

Mesmo que esta violação tenha acontecido num espaço digital, a investigadora nota que ainda se sentiu “desorientada” e que o comando que usava ainda vibrou quando os outros dois avatares lhe tocaram. “Uma parte do meu cérebro não queria acreditar no que estava a acontecer, a outra parte dizia-me que não era um corpo real e outra parte dizia-me que era uma pesquisa importante”, pode ler-se no relatório.

Como conta o Business Insider, este parece não ser um caso isolado no metaverso do Facebook – com vários utilizadores a reportarem situações de avanços sexuais e outros a contarem terem sido alvo de insultos raciais e homofóbicos.