01.06.2022 06:30

Aeronaves F-16V da Força Aérea de Taiwan manobram durante um exercício na região sul do país asiático, 5 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 01.06.2022

Na terça-feira (31), a secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, afirmou que os Estados Unidos estão monitorando a entrada de aeronaves chinesas de combate na chamada Zona de Identificação Aérea de Defesa de Taiwan (ADIZ, na sigla em inglês).

As declarações de Jean-Pierre ocorreram durante coletiva de imprensa. Apesar da declaração, a secretária não detalhou as ações de monitoramento dos EUA.

“Isso é algo que estamos monitorando. Não tenho nenhum comentário sobre isso agora”, disse. “Mas, claramente, essas são coisas que estamos de olho”, garantiu.

Na segunda-feira (30), o Ministério Nacional de Defesa de Taiwan afirmou que 30 aeronaves militares da China entraram na porção sul da ADIZ.

Guardas de honra em frente de bandeira taiwanesa durante cerimônia militar com John Briceno, primeiro-ministro de Belize (fora da foto), em frente ao escritório presidencial em Taipé, Taiwan, 9 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 01.06.2022
Guardas de honra em frente de bandeira taiwanesa durante cerimônia militar com John Briceno, primeiro-ministro de Belize (fora da foto), em frente ao escritório presidencial em Taipé, Taiwan, 9 de março de 2022

Pequim considera Taiwan parte inalienável de seu território soberano e se opõe aos contatos oficiais entre a ilha e outras Nações. Os EUA forneceram a Taiwan diversos sistemas de armas e apoiam elementos pró-independência da região.

O Ministério das Relações Exteriores da China constantemente afirma que o chamado princípio da China Única é a fundação pol´tica das relações entre Pequim e Washington. Para a pasta, as violações dos EUA de suas próprias obrigações nesse sentido  segundo o governo de Pequim ameaçam a cooperação bilateral e colocam em risco a paz e a estabilidade regionais.

Revista Destemidos.