Referência para muitos, no que toca ao jornalismo informativo, Ernesto Bartolomeu tem 39 anos de actividade na Televisão Pública de Angola e viu seu longo e glorioso percurso profissional reconhecido ainda em vida, com o seu nome atribuído ao novo Centro de Produção de Conteúdos da TPA, num acto testemunhado pelo Presidente da República, João Lourenço, que marcou a era de modernização daquela rede de televisão estatal, após 46 anos desde a sua fundação em 1976.

Visivelmente emocionado pela grande homenagem, o ícone da Televisão angolana destacou que “estes são os resultados das orações que a gente vai fazendo a pedir que, efectivamente, pudéssemos ser homenageados ainda vivos, porque quando nós morremos já não sentimos e o que senti hoje, vivo, é algo que vou levar para toda a vida”.

O jornalista estendeu ainda o mérito que lhe foi dado a todos os colegas que, igualmente, fazem acontecer. “Se não houvesse os câmeras, os produtores, editoria, se não houvesse repórteres não haveria Ernesto Bartolomeu, então, quero partilhar este complexo com vocês”.

Para concluir, o homenageado deixou um apelo importante a todos os profissionais, com vista a dignificar a aposta feita pelo executivo angolano. “Vamos cuidá-lo e contar aqui as melhores histórias para que isso dignifique não apenas o nome que está aí mas de todos os profissionais da empresa”.

Ernesto Bartolomeu diz que homenagem da TPA com novo Complexo de Produção de Conteúdos é resultado das suas orações.