A Sonangol recebeu autorização do Governo para voltar a contratar a Odebrecht Engenharia e Construção Internacional ((OECI) para operações de manutenção e outros trabalhos preliminares nas obras da Refinaria do Lobito, prevendo um novo procedimento para a selecção de parceiros para a empreitada.

29/05/2022  09H23

Equipamento da Refinaria do Lobito fica concluído em Setembro

Isso mesmo foi declarado pelo administrador executivo da Sonangol Joaquim Fernandes, ontem, citado pela Rádio Nacional de Angola (RNA), quando instado a comentar a decisão da companhia de assumir integralmente esta fase da edificação da unidade petroquímica, depois de os parceiros seleccionados por concurso público se terem retirado do projecto.

“Vamos abrir um outro processo, [em termos] ainda por definir, no qual podemos voltar a fazer a captação de parceiros que possam estar connosco na estrutura societária”, afirmou o administrador ao anunciar um novo procedimento contratual de parâmetros ainda não estabelecidos.

A contratação da OECI tem a seu favor do facto de ter sido o principal construtor e responsável pela gestão de todas as obras na primeira fase, beneficiando, ainda, do facto de a companhia ser conhecedora de todo o projecto: “propusemos ao Executivo e recebemos o aval para contratá-la” para as operações de manutenção e obras preliminares, afirmou a fonte.

A contratação é considerada crucial, uma vez que viabilizou o início dos trabalhos no terreno, onde, depois do princípio do corrente mês de Maio, as operações já envolvem 80 trabalhadores, mas, também pela evolução positiva dos trabalhos de engenharia da fábrica de refinação, em Houston, Estados Unidos.

As operações de engenharia do equipamento de refinação estão a ser executadas pela empresa KBR, incluindo licenciadores de equipamentos cuja a conclusão está prevista para o mes de Setembro do ano em curso, afirmou o administrador para dar uma ideia da premência das obras no terreno.

Há pouco mais de uma semana, a Sonangol e parceiros de construção, a OECI e a companhia de fiscalização de obras DAR, realizaram uma reunião preliminar que marcou o início dos trabalhos de engenharia, aquisições e construção (EPC, sigla em inglês) da Refinaria do Lobito.

O encontro, realizado na cidade do Lobito, teve por objectivo relançar o projecto, segundo afirmou, naquela ocasião, o administrador Joaquim Fernandes, que chefiou a delegação da petrolífera nacional à cidade do Lobito, destacando os principais propósitos da estrutura, bem como o impacto social que a mesma terá.

Revista estemidos.