O porta-voz do Ministério da Defesa da China, o coronel Wu Qian, afirmou que os EUA são mestres da intimidação e que deveriam deixar de promover uma ordem hegemônica.

A declaração foi feita durante uma coletiva de imprensa, após o secretário de Defesa norte-americana, Loyd Austin, falar da necessidade de contra-atacar a agressão e intimidação da China.

Já o general Mark Milley, chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, afirmou que Pequim e Moscou têm a intenção de mudar a actual ordem internacional baseada em regras.

Wu Qian disse por sua vez que os EUA, como sempre, refletem uma forte mentalidade hegemônica da Guerra Fria, revelando sua ansiedade diante da ascensão pacífica da China.

Qualquer que seja a expressão usada pelos EUA, seja intimidação ou minar as regras e a ordem internacional, acredito que todos estes termos se aplicam aos próprios EUA, declarou Wu Qian.

O porta-voz chinês aproveitou para expor os vários exemplos do comportamento de Washington como mestre de intimidação, como foi o caso da invasão descarada do Iraque, a intervenção armada nos assuntos internos da Síria e o bombardeio da embaixada chinesa na Iugoslávia há 23 anos.

Revista Destemidos.