O 25 de Maio, consagrado Dia de África, foi marcado hoje, em Roma, com diversas actividades, com realce para a literatura, informou nesta quarta-feira, em comunicado, a Embaixada de Angola na Itália.

Embaixadora Fátima Jardim representou Angola no evento

Segundo a nota a que o Jornal de Angola teve acesso, o Dia de África, data que celebra o aniversário da criação da Organização da Unidade Africana, fundada a 25 de Maio de 1963 em Addis Abeba (Etiópia) e que  se transformou em 2002 na actual União Africana, está a ser assinalado na Itália com diversas iniciativas.

A edição deste ano é dedicada à literatura africana e a celebração oficial foi realizada na sede do Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação Internacional da Itália, onde o ministro Luigi Di Maio recebeu vários embaixadores, entre as quais a angolana Fátima Jardim.

O embaixador da República do Senegal na Itália, Papa Abdoulaye Seck, país que detém a presidência rotativa da União Africana, falou na abertura, em nome de África, enquanto a vice-ministra dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação Internacional desta nação europeia, Marina Sereni, encerrou a cerimónia.

O evento foi marcado pela realização de uma conferência onde intervieram os escritores africanos Sami Tchak, do Togo, Azzano Fillai, da Tunísia, Ghada Al, do Egipto, Pap Khouma, do Senegal, e Jean Touadi Congo, da Itália, além de autores  afrodescendentes que adoptaram a língua italiana e que destacaram o papel da cultura como instrumento de amizade, colaboração e registo da historia entre os povos.O mundo literário africano vive actualmente um período positivo. Em 2021, alguns dos mais importantes prémios literários internacionais foram atribuídos a escritores africanos. Trata-se do Prémio Nobel da Literatura (tanzaniano Abdulrazak Gurnah), Prémio Goncourt francês (Mohamed Mgoubar Sarr) e Prémio Booker Internacional (David Diop).

Revista Destemidos.