O atirador foi identificado como Salvador Ramos, de 18 anos, que as autoridades creem ter agido sozinho.

Pelo menos 19 estudantes e dois adultos foram mortos a tiro, na terça-feira, numa escola primária em Uvalde, no estado norte-americano do Texas.

O atirador já foi identificado pelas autoridades como sendo Salvador Ramos, que foi abatido pela polícia e terá agido sozinho. O governador do Texas, Greg Abbott, revelou que o jovem de 18 anos era aluno do liceu  da cidade.

Salvador terá entrado no local com colete antibalas, uma pistola e uma espingarda. Antes de se dirigir para a escola, o suspeito terá disparado contra a avó, que segundo a CNN, encontra-se em estado crítico no hospital.

primeira vítima conhecida foi Eva Mireles, uma professora do quarto ano, com uma filha, casada com um polícia e que dava aulas há 17 anos. As restantes também já têm vindo a ser identificadas.

Há ainda três pessoas hospitalizadas – uma menina de 10 anos e uma mulher de 66 anos em estado crítico, bem como uma menina de 10 anos em estado considerado estável. Dois agentes da polícia terão, também sido atingidos, não tendo sofrido ferimentos graves.

O presidente norte-americano Joe Biden descreveu o incidente como “outro massacre” e disse que era “hora de agir” para enfrentar o ‘lobby’ das armas, enquanto se dirigia à nação. “Os tiroteios em massa não acontecem com a frequência que acontecem nos Estados Unidos. Porquê? Porque é que estamos dispostos a viver com essa carnificina? Porque é que continuamos a deixar isso acontecer?”, indagou ainda.

Também a vice-presidente reagiu ao ataque pedindo “coragem para agir” para regular melhor as armas. “Basta, já é demais. Os nossos corações continuam partidos”, salientou Kamala Harris, numa referência aos tiroteios em escolas que se têm vindo a repetir no país.

Este tiroteio é o mais mortífero numa escola dos Estados Unidos desde o ataque a Sandy Hook, no Connecticut, que vitimou 20 crianças e seis funcionários.