Israel anunciou, esta terça-feira, que desmantelou uma célula do movimento islâmico palestiniano Hamas, em Jerusalém, que estava pronta para atacar alvos israelitas, entre eles, o deputado do Partido Religioso Sionista , o ultranacionalista Itamar Ben-Gvir.

Uma investigação feita pela Agência de Segurança Israelita (Shin Bet) e a Polícia, revelou que a célula do Hamas, um grupo considerado por Israel, Estados Unidos e pela União Europeia (UE) como terrorista , planeava perpetrar os ataques no início de Abril, quando a onda de violência que tem afectado a zona nos últimos meses já se estava a intensificar.

Os suspeitos também planeavam disparar contra alvos israelitas e figuras públicas como Ben-Gvir, fabricar artefactos explosivos improvisados, sequestrar soldados e realizar atentados suicidas, informaram as autoridades israelitas em comunicado.

As mesmas fontes precisaram que a célula tinha adquirido  um drone para ataques em Jerusalém.

Revista destemidos.