Fenómeno poderá prolongar-se durante os próximos dias.

A quantidade de pó no ar é muito inferior à verificada a meio deste mês, mas ainda assim as pessoas mais vulneráveis devem proteger-se

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) recomenda às crianças, idosos, pessoas com problemas respiratórios crónicos, como asma, e a doentes cardiovasculares especial atenção devido a nova situação de poeiras no ar provenientes do norte de África.

A DGS alerta em comunicado que está prevista para esta segunda-feira uma situação de “fraca qualidade do ar” devido “à intrusão de uma massa de ar proveniente dos desertos do Norte de África, que transporta poeiras em suspensão e que atravessa Portugal continental, aumentando as concentrações de partículas inaláveis de origem natural no ar”.

“Este poluente (partículas inaláveis — PM10) tem efeitos na saúde humana, principalmente na população mais sensível, crianças e idosos, cujos cuidados de saúde devem ser redobrados durante a ocorrência destas situações (…) enquanto este fenómeno se mantiver”, adianta o comunicado.

Face a esta situação, que se pode arrastar para lá do dia de hoje, a DGS “recomenda à população em geral que evite os esforços prolongados, limite a actividade física ao ar livre e a exposição a factores de risco, tais como o fumo do tabaco e o contacto com produtos irritantes”.

De acordo com a DGS, crianças, idosos, pessoas com problemas respiratórios crónicos, designadamente asma, e doentes cardiovasculares, “pela sua maior vulnerabilidade aos efeitos deste fenómeno, para além de cumprirem as recomendações para a população em geral, devem, sempre que viável, permanecer no interior dos edifícios e, preferencialmente, com as janelas fechadas”.

Revista Destemidos