A cerimónia fúnebre do malogrado general Paulo Lara, falecido na última terça-feira, na cidade do Porto- Portugal, tem início hoje, as primeiras horas do dia, no Comando do Exército, com a presença de entidades militares, políticas, membros da sociedade e familiares.

O corpo do general chegou ontem ao país. Após a recepção, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, o cortejo fúnebre seguiu para a residência, onde se cumpriu um programa reservado à família do malogrado.

O general Paulo Lara é integrado no grupo de angolanos que, desde muito cedo, engajaram-se na luta de Libertação, empenhado pelo pai, o malogrado nacionalista Lúcio Lara, destacando-se em várias missões prestadas à pátria.

A morte do general Paulo Lara representa, segundo testemunhos, a perda de um dos mais brilhantes filhos de Angola, que por ela dedicou os melhores anos da sua vida, bem como o desaparecimento de um ilustre intelectual preocupado com a preservação da memória colectiva do Povo Angolano.

O general Paulo Pfluger Barreto Lara, envolveu-se de corpo e alma na causa do nacionalismo angolano, por via da indissionável caminhada com seu pai, o malogrado nacionalista Lúcia Lara. Paulo Lara possui uma irrepreensível folha de serviços prestados à Nação angolana.