A exposição individual do artista plástico Guizef, intitulada “A nossa Cultura”, patente até 31 deste mês, na Galeria de Arte do Pavilhão de Angola na Expo2020 Dubai, fecha, com chave de ouro, o ciclo de mostras individuais e colectivas, realizadas ao longo dos seis meses da exposição internacional, no espaço angolano.

Inaugurada a 21 deste mês, na “A nossa Cultura”, Guizef apresenta um conjunto de 11 obras de grande e médio formato pintadas em acrílico sobre tela, num estilo com influências realistas clássicas, inspiradas no quotidiano angolano.

De acordo com o artista plástico, apenas duas das suas pinturas, com a dimensão de 120×95 centímetros, não reflectem o quotiano, cultura e sociedade angolanos, retratando, ambas, a imagem de Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum, Vice-Presidente e Primeiro-Ministro dos Emirados Árabes Unidos e do seu filho, Príncipe Hamdam bin Mohammed Al Maktoum.

A curadora da Galeria de Arte do Pavilhão de Angola na Expo, Carla Paiero, disse, ontem, ao Jornal de Angola, que o artista apresenta temas que fazem apelo à união familiar e à passagem de testemunho para a futura geração, condição “sine qua non” na herança cultural angolana, plasmados nas obras “Kazukuta”  e “Ritmo de Angola”.

“Guizef aborda, também, a preocupação com a importância que devemos dar à educação, mesmo em situações difíceis”, afirmou a curadora, destacando, em particular, as obras “Visão para um futuro melhor”, no qual uma criança estuda à luz de vela, e “Vamos para o futuro”. Acrescentou que a Palanca Negra Gigante está, também, presente na mostra de Guizef, com o título “O Protector da Nação”. Para o artista, a Palanca Negra Gigante “é o símbolo que melhor representa e identifica dos angolanos”.

Na sua visão artística, adiantou a curadora, a cultura africana incorpora uma fonte inesgotável de inspiração para cada uma das suas criações, tanto na pintura, como na escultura.

Carla Paiero lembrou que, durante os seis meses de Expo Dubai, a programação das exposições de arte na Galeria do Pavilhão de Angola apresentou nove artistas plásticos, 15 mostras individuais e colectivas e cerca de 400 obras de arte.

Perfil do artista

Guizef, nome artístico de Augusto Zeferino, nasceu em Ambriz, província do Bengo, a 12 de Janeiro de 1969. Autodidacta, tem a arte como dom e paixão. É membro da União Nacional dos Artistas Plásticos Angolanos (UNAP).

Realizou diversas exposições individuais e colectivas nacionais e internacionais, com destaque para a doação da obra “A Princesa Charlene”, para “a beneficência das crianças desfavorecidas do Líbano”, em 2018. A obra foi leiloada, em Monte Carlo de Mónaco, na presença do Príncipe Albert II e da esposa Charlene Wittstock.

Revista Destemidos