A Rússia tem impressão ‘justificada’ de que a OTAN a quer separar da Europa, diz Willy Wimmer, ex-secretário de Estado parlamentar no Ministério da Defesa da Alemanha no período a seguir ao fim da Guerra Fria. Ele crê que a política seguida pela OTAN a partir de 1992 criou um muro nas relações com a Rússia.

A Rússia tem impressão “justificada” de que a OTAN a quer separar da Europa, diz Willy Wimmer, ex-secretário de Estado parlamentar no Ministério da Defesa da Alemanha no período a seguir ao fim da Guerra Fria. Ele crê que a política seguida pela OTAN a partir de 1992 criou um muro nas relações com a Rússia.

A expansão da OTAN para o Leste Europeu quebra as promessas dadas pela própria aliança, e gera uma sensação de ameaça “justificada” por parte da Rússia, segundo Willy Wimmer, ex-secretário de Estado parlamentar no Ministério da Defesa da Alemanha (1985-1992), em entrevista publicada no sábado (19) na RT.

Wimmer, que foi vice-presidente da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE, na sigla em inglês) entre 1994 e 2000, comentou a recente publicação de um documento de 1991 pelo jornal Der Spiegel, que confirma que a Aliança Atlântica prometeu não se expandir para leste. De acordo com ele, ainda em 1989 ele expôs a Hermut Kohl, então chanceler da Alemanha (1982-1998) “os pontos que entraram na totalidade nos acordos sobre a reunificação” alemã.

“Na época entendíamos muito bem os problemas que enfrentamos hoje, pelo que a Alemanha naquele momento tomou a decisão de recusar o acolhimento de tropas da OTAN no território da antiga República Democrática da Alemanha e limitar [a expansão da OTAN] ao rio Óder”, disse o atual político da União Democrata-Cristã (CDU, na sigla em alemão).

Revista Destemidos.

G.G.M.Â