Fontes oficiais disseram à Reuters que, apesar das diferenças, os dois países estão, no entanto, comprometidos em chegar a um acordo.

Entre as posições da Rússia e da Ucrânia no que diz respeito às negociações de paz existirá “uma grande lacuna”, segundo fontes oficiais, citadas pela Reuters.

Uma das fontes, que terá falado com a agência de notícias sob condição de anonimato, sublinhou que, apesar de as negociações para encontrar a paz estarem a ser “levadas a sério” pelos dois países, havia “uma grande lacuna” entre as duas posições. 

Uma outra fonte oficial terá dito, segundo a Reuters, que “aqueles que viram o presidente Putin a dirigir-se à nação ontem seriam perdoados por pensar que a Rússia não estava a pensar em comprometer-se”.

Vladimir Putin ter-se-á dirigido aos país esta quarta-feira, e dirigindo-se àqueles que que não apoiam a invasão das tropas na Ucrânia, terá dito que os russos “vão sempre saber distinguir os verdadeiros patriotas de escumalha e traidores, e irão cuspi-los como a um mosquito que lhes tenha entrado acidentalmente na boca”.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que foi condenada pela generalidade da comunidade internacional. O Ocidente respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Ontem, o Financial Times avançou que os dois países estavam a trabalhar num acordo de paz provisório assente em 15 pontos.

Revista Destemidos