O Presidente da República, José Maria Neves, condecorou esta terça-feira o homólogo angolano, João Lourenço, com a maior distinção honorífica atribuída em Cabo Verde, o Primeiro Grau da Medalha Amílcar Cabral. A cerimónia foi realizada no Palácio do Povo, no Mindelo, no final de um dia de visita do chefe de Estado angolano a São Vicente.

Neves justificou a condecoração como um reconhecimento do contributo do presidente angolano “numa melhor inserção da comunidade cabo-verdiana em Angola e pela sua liderança na construção da paz na sub-região e em África, no seu todo”.

O Presidente enalteceu a “a intensidade” das relações entre os dois países e destacou as oportunidades de cooperação nas diferentes áreas.

“É minha firme convicção que o caminho que temos que seguir, outro não é, que não o do aprofundamento constante e da conquista de etapas cada vez mais ousadas e à altura deste nosso desígnio comum de estar juntos e construir juntos. O contributo de vossa excelência, traduzido em passos muito firmes, tem-se, na verdade, revelado determinante, o que constitui um exemplo muito claro do quanto, também nas relações entre estados, a palavra e a orientação certa, no momento certo, fazem a diferença e impulsionam o curso das acções”, afirmou.

José Maria Neves pediu convergência entre os dois países, para a defesa de interesses comuns.

“Juntos, cabo-verdianos e angolanos, temo-nos batido por um mundo melhor, sabemos o quanto custa a liberdade”, declarou.

Na mesma linha, o presidente de Angola disse-se “honrado” com a condecoração e assegurou a disponibilidade de Angola para o aprofundamento das relações de cooperação com o arquipélago.

“Esta distinção vai servir de estímulo para que prossigamos os esforços tendentes a estreitar os laços que nos unem a Cabo Verde, em favor do progresso, do crescimento económico e do bem-estar das populações”, garantiu.

Revista Destemidos