Militantes e delegados do MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO partilham, desde domingo até próximo sábado (26), em Joanesburgo (África do Sul), experiências dos seus programas de formação político-ideológicas, apelando à necessidade do reforço da capacitação permanente dos quadros.

Domingo, as delegações defenderam a contínua formação dos militantes em matéria de Ideologia Política, para fazerem face aos desafios colocados, sobretudo, aos movimentos libertadores dos seus países. A posição dos partidos foi expressa na sessão matinal do segundo dia da formação para formadores.

Da prelecção da FRELIMO (Moçambique) destaque para a formação destinada aos militantes do partido que são membros do Governo, com periodização bianual, incidindo sobre várias temáticas, realçando-se as questões dos seus estatutos, enquanto o delegado do ANC focou a intervenção na necessidade do reforço da formação de quadros que denotam uma postura de distanciamento ao partido.Para o partido governante sul-africano, este factor reflectiu nas últimas eleições autárquicas em que o ANC perdeu em várias circunscrições, consequência do fraco trabalho de mobilização política, sobretudo entre os jovens que, maioritariamente, optaram pela abstenção.Este comportamento, acrescentou um dos prelectores, castigou o ANC com a perda até mesmo de autarquias tidas como históricas em termos de conquistas dos partidários de Nelson Mandela. Na visão do ANC, o mau resultado nas últimas eleições autárquicas também foram consequência dos problemas ainda por resolver na organização juvenil, abalada com a crise resultante da expulsão do seu então líder.A SWAPO (Namíbia) destacou que o ensino naquelas paragens é destinado para a mudança de mentalidades, a fim de que os beneficiários pensem como líderes e não seguidores.Ainda na sessão da manhã de domingo, os participantes da formação debruçaram-se sobre a necessidade de fortalecimento de valores, como a Ética e a Liderança, tarefa apresentada por um membro de cada delegação, considerada pelos presentes como de valor elevado e que ajudará bastante a melhorar o desempenho dos partidos.As delegações apresentaram a visão dos seus partidos quanto aos valores, princípios e ética política, bem como a maneira que lidam com eventuais casos de corrupção e indisciplina partidária. O MPLA sublinhou o papel desempenhado pela Comissão de Disciplina, Ética e Auditoria na resolução dos problemas dos membros.Foi, igualmente, destacado o facto de o MPLA continuar fiel aos princípios e valores, enquanto partido cuja força reside na histórica ligação com o povo, assim como a implantação em todo o território nacional.

#FonteJornalAngola

#EdiçãoOlíviaGonçalves

#RevistaDestimidos